3 benefícios da kombucha - living food

A origem da Kombucha é desconhecida, mas, reza a lenda, que esta bebida surge na China no ano 221-206 AC, na dinastia do Imperador Qin Shi Huang.


Reza a lenda que o Imperador queria prolongar a sua vida e, para isso, recorria a um chá feito por alquimistas. Acredita-se que este chá era a kombucha.


Em documentos antigos, é possível encontrar referências ao “elixir da vida longa” como um chá fermentado feito a partir de um cogumelo, que se acredita ser a scoby.


1. Saúde intestinal

Provavelmente já sabe que os probióticos podem fazer maravilhas pelo seu intestino e boas notícias! A Kombucha é um alimento probiótico.


Ao optarmos por alimentos e bebidas fermentados, estamos essencialmente dando aos probióticos um caminho aberto e rápido para o intestino, onde as bactérias e enzimas presentes na kombucha podem manter ou melhorar o crescimento de boas bactérias (flora intestinal), que, por sua vez, podem melhorar os processos de digestão digestão.


Mas atenção! Isto não implica apenas as suas visitas à casa-de-banho. Uma flora intestinal saudável

está associada à melhoria do bem-estar mental, redução do risco de desenvolver diabetes tipo 2, combate de doenças inflamatórias, fortalecimento do sistema imunológico, além de prevenir o desenvolvimento de doenças neurodegenerativas.


2. Doenças


A kombucha é produzida à base de chá preto ou verde (ou ambos). Estes chás são conhecidos por serem uma fonte de antioxidantes, que podem ajudar a reduzir o risco de certas doenças crônicas.

Os antioxidantes são agentes que destroem os radicais livres. Os radicais livres por sua vez são moléculas instáveis que, em excesso, podem levar ao stress oxidativo, resultando em danos celulares que aumentam o risco de doenças crônicas, como o cancro.

Aumentar a ingestão de antioxidantes (via, digamos, kombucha), podemos ajudar a controlar os radicais livres e consequentemente proteger as células do stress oxidativo e, assim, prevenir doenças.


3. Risco de doença cardíaca

Um estudo de 2011 em patos descobriu que a kombucha reduzia os níveis de colesterol LDL “colesterol mau” enquanto aumentava os níveis de colesterol HDL “colesterol bom”. Um estudo mais recente, de 2015, em ratos teve descobertas semelhantes, levando os cientistas a concluir que esses resultados provavelmente se devem em parte ao conteúdo antioxidante do kombucha.


Quando os radicais livres interagem com o colesterol LDL, pode provocar o desenvolvimento de doenças cardíacas, como aterosclerose (também conhecida como acúmulo de placas nas artérias). Mas pesquisas mostram que certos antioxidantes – como as catequinas encontradas no chá verde (e, portanto, no kombucha) – podem prevenir a oxidação do LDL, que, por sua vez, protege o coração.


É importante enfatizar que é possível que os feitos em animais não reflitam necessariamente os efeitos em humanos.





3 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo